Capturando a República Dominicana em um copo

Puerto Plata não é apenas um lugar de férias em moda na República Dominicana. É também a casa de Brugal, o mais popular rum do Caribe, mas sendo cada vez mais conhecido nos Estados Unidos e também na Europa. Apesar de outros tipos estarem disponíveis, é Brugal Extra Viejo de teor alcoólico 41% (US$ 25,99) que melhor captura a essência desse clássico dominicano. Com sua tonalidade âmbar-dourado médio e sabores de frutas adocicadas com um leve toque achocolatado, pode ser degustado ao gelo, ou seco com uma fatia de abacaxi, e ainda mais tradicional, farpas de cana.

A Brugal foi fundada em 1888 por Don Andrés Brugal Montaner, e hoje a quarta e quinta gerações continuam a tradição de usarem recursos locais, do plantio à colheita da cana, ao envelhecimento em barris e engarrafamento dos runs. A dupla destilação ocorre nas duas destilarias da Brugal em San Pedro de Macoris, enquanto os barris cheios são envelhecidos no clima praiano de Puerto Plata, onde monções oceânicas mornas permeiam os cascos de carvalho e imprimem uma suave textura caribenha ao rum, uma característica distinta nessa nação-ilha, e melhor experimentada no Extra Viejo.

Colecionável bem vestido

Como vestimenta de combate, as armaduras estão obsoletas a séculos. Mas suas qualidades esculturais são atemporais para decorar um lar, seja uma réplica ou uma raríssima original. “Armaduras antigas não ficam bem lado a lado à arte moderna e contemporânea”, diz Thomas Del Mar, marchand londrino que a cada dois anos conduz leilões na Sotheby’s. “É linda. Simples assim. Vai se destacar não importa onde você a coloque.”

Colecionadores há muito reconhecem as qualidades decorativas das armaduras. Elas eram tão populares — e escassas — no início do século XIX que artesãos atendiam a demanda replicando desenhos famosos de eras passadas. Hoje em dia, muitos marchands e casas de leilão tem esses itens, marcando e precificando elas apropriadamente; em dezembro, Del Mar vendeu um conjunto do final do século XIX, mas estilizado como do século XVI, por US$ 4.400.

Esse montante ainda é menor que o leilão recorde de £1,9 milhões por uma armadura original do século XVI, alcançado durante 1983 pela Sotheby’s em Londres. Entretanto, Peter Finer, um marchand de armas e armaduras antigas, diz já ter vendido uma peça por um valor “consideravelmente maior”. A enorme armadura, feita para ser usada como símbolo de status e não para proteção, já pertenceu ao primeiro Lorde Astor de Hever, alcunha do milionário norte-americano expatriado William Waldorf Astor. O mestre renascentista Giovanni Paolo Negroli confeccionou a vestimenta na década de 1540 para o rei frances Henrique II.

Bonhams leiloará armas e armaduras antigas dia 20 de Junho em São Francisco e dia 20 de Julho em Londres, e Christie’s venderá itens semelhantes dia 22 de Junho em Londres. A próxima venda de Del Mar na Sotheby’s é dia 29 de Junho.

Além de estimular a produção de réplicas, a demanda por armaduras também levou artesãos inescrupulosos no século XVIII a fazerem vestimentas falsificadas, que podem ser antigas mas não devem ser confundidas com réplicas intencionais. “Falsificações baratas são facilmente reconhecíveis”, diz Stuart Pyhrr, chefe do departamento de Armas e Armaduras do Museu Metropolitano de Artes de Nova Iorque. “Elas foram baseadas em moedas e medalhas que não ficaram bem em 3-D. Ocasionalmente, o metal entrega: algumas falsidades são feitas de um metal que só apareceu no século XIX. Finer lembra que armaduras falsas se entregam quando vestidas. “Em elmos”, diz ele, “você pode achar o visor acima das sombrancelhas” – uma falha que tornaria a vestimenta mais inútil ao cavaleiro do que a compra pelo colecionador.

China World Summit Wing em Pequim

Os quartos e suítes do China World Summit Wing, novo hotel do grupo Shangri-La, ocupam 18 dos 81 andares do China World Tower, em Pequim, 300 metros acima do distrito central de negócios da cidade. Para manter a privacidade dentro dos espaços públicos nos níveis mais baixos, o hotel de alta tecnologia, que abriu em Agosto, oferece funcionalidades como janelas à prova de bala nos salões e paredes de vidros que escurecem ao aperto de um botão.

A coleção de arte do Summit Wing, com mais de 100 peças, inclui a Yellow Earth, uma instalação com 550.000 pedras olhos-de-tigre sul-africanas. Os convidados também podem se maravilhar com os horizontes urbanos através das janelas piso-teto nos 278 quartos, muitos dos quais com visão à Cidade Probida e à Praça da Paz Celestial.

Mais novo e melhor dos três hotéis da Shangri-La no complexo China World Trade Center, o Summit Wing culmina com dois restaurantes desenhados por Adam Tihany nos andares 79 e 80. No andar 77, o spa do hotel oference terapias celestiais em seis salas.

Gulfstream revela o interior dos novos jatos

A Gulfstream lançará em breve seu maior jato empresarial, o G650 (US$ 64 milhões), e a empresa demonstrou as últimas novidades da cabine de 16 metros. O interior é projetado para diminuir a fatiga de voo e aumentar a produtividade, com 100% de ar fresco, máxima altitude de 1,5 km, 16 janelas de 28 polegadas, e níveis baixos de barulho. Uma cozinha e banheiro espaçosos, além de ampla área de armazenamento, aumentam o conforto, além das poltronas eletrônicas com almofadas aquecidas e massagem para as costas.

A empresa também demonstrou os detalhes do novo interior do modelo de médio porte G250 (US$ 25 milhões), planejado para entrega em 2011. As novas poltronas da cabine de 8 metros são maiores e mais ajustáveis, com mais espaço entre elas. Um sistema de fibra-ótica disponibiliza vídeos em alta definição, e telas sensíveis ao toque gerenciam as escolhas de mídia e ambiente.

Founder’s Reserve da Glenlivet

Glenlivet, a segunda marca de uísque unicamente maltado mais vendida do mundo (Glenfiddich é a número um), está globalmente focada em galgar mais uma posição na lista de vendas. Para conseguir esse objetivo, a empresa investiu US$ 15 milhões na expansão de sua destilaria, que incluem seis novos alambiques de cobre, e aumentará a produção em 75%.

Para celebrar, a Glenvilet lança a edição limitada Founder’s Reserve de uísque unicamente maltado (US$ 375,00). Apenas 1.824 garrafas individualmente numeradas foram produzidas, em homenagem à fundação em 1824 por George Smith e a primeira licença para destilarias da Escócia. Originada das mãos do recém empossado mestre destileiro Alan Winchester de alguns dos barris mais saborosos da celebrada adega, em filtragem sem friagem, o Founder’s Reserve está repleto de doce de laranja, frutas secas, caramelo adocicado, junto das conhecidas notas florais Glenvilet.

A expansão Glenvilet

A destilaria escocesa Glenlivet investiu £10 milhões em um anexo recentemente adicionado à fábrica principal, um esforço de Pernord Ricard para tomar o primeiro lugar de vendas dos uísques unicamente maltados de Glenfiddich.

Parte externa da expansão Glenlivet

Parte externa da expansão Glenlivet

Falar dessa aglomeração de seis novos destiladores impecáveis, oito cubas e um tonel triturador gigantesco como uma “expansão” é diminuir a ambição de Glenlivet.

Tonel triturador de Glenlivet

Tonel triturador de Glenlivet

Na verdade, a expansão poderia facilmente funcionar como uma destilaria completamente separada da fábrica existente, se a empresa quisesse. É maior que boa parte da destilarias existentes da Escócia, e foi projetada para suprir a demanda para destilados da Glenlivet até 2100. O aumento em 75% na capacidade adiciona à produção 4,5 milhões de litros anuais.

Novos alambiques da Glenlivet

Novos alambiques da Glenlivet

Abotoaduras irreverentes

A empresa britânica Deakin & Francis oferece centenas de desenhos de abotoaduras para satisfazer o passatempo, senso de humor e estilo de qualquer homem. Apesar do extenso catálogo com desenhos clássicos em ouro, pedras preciosas e esmalte, ela é conhecida pelos desenhos amalucados — de minúsculas caixas esmaltadas de charutos até caveiras com globos oculares de diamantes que abrem e fecham. Fundada em 1786, a empresa é controlada pela sétima geração, os irmãos James e Henry Deakin. James, 35, e Henry, 28, são ambos treinados gemólogos e trabalharam na Asprey antes de assumirem os negócios da família.

A geração mais nova traz uma atitude jovial e estilosa à marca e consegue capturar o espírito da atualidade com os desenhos de abotoaduras. Um par tem as capas do Wall Street Journal em uma abotoadura e do Financial Times na outra. A marca oferece mistura animais, items clássicos e irreverentes como abotoaduras em formato de pequenas algemas. Cada irmão tem sua favorita: James prefere as formigas de diamante negro, e Henry empata com um tradicional par em ouro amarelo esmaltado e safira cabochão, e outro par, como dentes de tigre-de-sabre. Os preços vão de US$ 3.000 à US$ 6.000.

Chivas brinda uma dose aos canhões da rainha britânica

Em 1843, Chivas Brothers — uma luxuosa mercearia pertencente a John e James Chivas em Aberdeen, Escócia — ganhou a Royal Warrant da rainha Victoria como fornecedora à majestade, e a marca tem mantido a associação com a família real britânica desde então. Os irmãos começaram a produzir uísque na década de 1850, e quando a rainha Elizabete II foi coroada em 1953, a Chivas Brothers criou uma nova marca de uísques especiais, Royal Salute, para comemorar a ocasião. A oferta da edição limitada Royal Salute 50 Year Old em 2003 honrou o quinquagésimo aniversário de coroação da rainha, e em 2004, a empresa lançou a Royal Salute 100 Cask, engarramento derivado de 100 barris para cada lote produzido. Um ano depois, a Chivas lançou a Royal Salute 38 Year Old Stone Of Destiny — nomeado em homenagem à pedra de coroação escocesa — na qual nenhum dos ingredientes tinha menos de 38 anos.

Em breve, a destilaria exportará mundialmente o apogeu do uísque escocês blended —  uma oferta majestosa batizada com base na mais impressionante de todas as saudações de canhão, o salvo de 62 armas disparado todo mês de junho na Torre de Londres para marcar o aniversário do nascimento e ascenção da rainha. Mas a esvoaçante emanação da Royal Salute 62 Gun Salute não vem do tiro de um canhão; ao invés disso, vem da turfa utilizada nas receitas maltadas dos uísques — cada um com no mínimo 40 anos — que fazem parte desse complexo destilado.

“Esses uísques são muito antigos, muito raros, e muito preciosos”, diz Colin Scott, mestre blender da Royal Salute. “Nós temos uma tradição e herança de separaramos os barris. Por isso, nós temos uísques fantásticos para escolha e mistura, resultando na criação do Royal Salute 62 Gun Salute.”

Envelhecido em barris que já comportaram bourbon e xerez e engarrafado com teor alcoólico 43, o uísque liberta aromas frutados que preenchem a sala e a taça. Essências de madressilva, couro e marzipã precedem paladares de cereja e citros na demorada finalização.

Apenas 1.000 garrafas de cristal Dartington, com um litro, adornadas com ouro (US$ 2.200) serão feitas inicialmente, apesar da entrada definitiva no portifólio de uísques da empresa. “Na Royal Salute, nós lidamos com barris com potencial de envelhecimento”, diz Colin. “Depois de 40 anos, a dose do santo [levada pela evaporação] é quase o barril. Sobra realmente muito pouco volume em cada barril que selecionamos. É melhor aproveitar esse uísque antes que ele desapareça.”

Godiva mescla chocolate e vodca

Existe uma certa sofisticação inerente em parear chocolate com doses de vodca. Alguns restaurantes tem ambos no Dia dos Namorados, homenageando as virtudes afrodisíacas do chocolate. E muitos coqueteleiros orgulham-se de suas criações com chocolates, que podem ser simples como guarnições de Hershey Kiss, ou complicadas elaborações da caldas e creme de cacau. Mas tudo isso parece passé com a chegada do Chocolate Infused Vodka da Godiva (US$ 29,99). E como é de se esperar das mais elegantes expressões de habilidade em chocolates, a vodca tem sabor.

Sobe a supervisão de Thierry Muret, mestre chocolatier da Godiva, uma vodca de grãos nobres é quintuplamente filtrada para obter uma suavidade limpa e fresca digna da cremosidade dos chocolates Godiva. Então, chocolate preto de primeira linha, escolhido à mão, é cuidadosamente mesclado à vodca, fundindo com o destilado. O resultado é uma riqueza trufada que permeia a bebida, melhor servida fria e pura. E para os viciados no Chocolate Raspberry Truffles da Godiva, há a versão Chocolate Raspberry Infused Vodka (US$ 29,99), com a mesma textura de dar água-na-boca. Sirva com uma framboesa inteira antes da degustação, para o melhor em sobremesas líquidas.

Phantom da Buben & Zörweg

Ecoando a crescente influência do desenho automotivo em sofisticados armazenadores de relógios, o automático Phantom Time Mover da Buben & Zörweg (US$ 6.340) canaliza o espírito de um conversível esportivo. O invólucro de alumínio é permeado conforme a escolha do comprador entre fibra de carbono de alta tecnologia ou ébano polido de Macaçar. O interior é forrado de couro italiano e um sistema de iluminação LED, e o exterior seguro por um cadeado alemão. Disponível em versões para armazenar quatro ou oito peças, o Phantom utiliza o sistema Time Mover da fabricante, um motor super silencioso e desenvolvido para entrar em modo de espera e poupar a tensão entre movimentos, ao mesmo tempo que mantém o torque direcional constante.

A fase curta automática do Time Mover alterna com períodos longos de descanso, entretanto você pode ajustar o frequência e direção da rotação. O Phantom mantém os relógios em ação, já que os aparelhos que repousem por longos períodos de tempo podem apresentar problemas, como a solidificação de lubrificantes.